Atendimento61 8112 7599

Marcel Cardozo - Fisoterapeuta

Tratamentos


Osteopatia

Osteopatia

Osteopatia deriva das palavras gregas (osteon) osso e (pathos) doença. A sua origem data do século XIX a partir da investigação do médico norte-americano Andrew Taylor Still (1828-1917) que em 1874 estabelece a relação entre a alteração estrutural (músculo-esquelética) e o resto do corpo como elemento chave na saúde. Em 1892, Still funda The American School of Osteopaty em Kirksville, a primeira escola de osteopatia, o movimento ganhou uma grande extensão, sendo então reconhecido pelo que ela é realmente: uma verdadeira ciência médica e não apenas um conjunto de técnicas, sejam elas vertebrais, viscerais ou cranianas.

O que é a Osteopatia?

É um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia e filosofia próprias, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático). Arte, Ciência e Filosofia, a osteopatia repousa sobre bases simples. O fio de Ariadne do procedimento osteopático é encontrado numa frase muito simples: "Encontrem e suprima a causa, então o efeito desaparecerá". O osteopata busca esta causa e a trata utilizando as mãos como utensílio de análise e de tratamento, através de seus conhecimentos profundos em anatomia e fisiologia, respeitando o princípio da unidade e da globalidade do ser, a relação mútua entre a estrutura e a função, e a capacidade de autocura do corpo humano.

Apesar da Osteopatia enxergar o corpo como um todo e acreditar que é justamente esta visão que a caracteriza além de ser fundamental na recuperação dos pacientes, pode ser divida em três grupos:

Osteopatia Estrutural: Está relacionado às disfunções do sistema músculo-esquelético e tem como principal foco de trabalho as dores do corpo. Atua desta forma principalmente nos tecidos: ligamentar, muscular, tendíneo, articular, nervoso e fascial.

Osteopatia Visceral: O estudo da osteopatia visceral está voltado para o bom funcionamento sistêmico do corpo, ou seja, as relações entre as vísceras, sistema nervoso central e o sistema estrutural. Todos os órgãos, assim como todo o corpo, estão em movimento constante e em sincronia entre si e com todas as estruturas que os rodeiam. Quando essa sincronia estiver perturbada, estamos diante de uma disfunção osteopatica visceral. Essas disfunções são caracterizadas por víscero-espasmos, diminuição da mobilidade e motilidade da víscera, diminuição da vascularização, ptoses viscerais, aderências decorrentes de inflamações, infecções, intervenções cirúrgicas, traumas, postura incorreta por demasiado tempo, entre outros. Os principais efeitos da manipulação visceral são: eliminação do espasmo reflexo da musculatura lisa do trato visceral; estiramento das fáscias com o fim de liberar as aderências e dar elasticidade e liberdade de movimento.

Osteopatia craniana: consiste em liberar certas restrições no sistema crânio-sacral e dissipar os efeitos negativos do estresse sobre o sistema nervoso central, facilitando o processo de recuperação do próprio corpo (principio da autocura). Tem como principais indicações os seguintes sintomas: cefaléias e enxaquecas; distúrbios visuais e auditivos; disfunções da articulação têmporo-mandibular; distúrbios de deglutição; alterações digestivas; alterações vestibulares; alergias; rinites e sinusites; otites; dores crônicas; dificuldades emocionais e varias outras doenças.

Como é realizado o tratamento?

Primeiramente será realizado um exame completo: anamnese, inspeção de postura, palpação de tecidos e testes de mobilização articular ativo e passivo, testes ortopédicos e neurológicos, exames radiológicos e os exames laboratoriais. O exame osteopático vai revelar todos os distúrbios mecânicos do sistema musculoesquelético, cranial e visceral. Após essa minuciosa avaliação, o Osteopata elege os tecidos (músculos, ligamentos, nervos, órgãos, sistema circulatório, linfático, etc.) a serem tratados e por meio de técnicas específicas realiza procedimentos para ajustá-los em seu melhor estado de funcionamento; sempre buscando o equilíbrio entre a estrutura e a função que a mesma deve desempenhar. Geralmente a dor ou qualquer outro sintoma é fruto de sobrecargas as quais o corpo está submetido, e o objetivo do tratamento Osteopático é encontrá-las e corrigi-las. Cada paciente é atendido de forma individual, em sessões que duram em média entre 45min e 1hora, sendo que o tempo de tratamento e a quantidade de sessões a serem realizadas dependem da necessidade de cada individuo.

Voltar